top of page

Câmeras são mais que um equipamento de segurança. Imagens servem como prova!

Restaurante divulga imagens de câmera para desmentir turista que alegou não ter sido informado que prato era cobrado por peso. Conta total deu R$ 4,7 mil


O restaurante Seafood Paradise, do Paradise Group, de Singapura, onde um turista chamou a polícia no mês passado após receber uma conta de R$ 4,7 mil (1.322 dólares singapurianos), que incluía um prato de caranguejo, se posicionou nesta quarta-feira (20/9). O cliente disse que não concordava com o valor cobrado pela casa — só o caranguejo custou cerca 938 dólares singapurianos (ou R$ 3,3 mil). O restaurante se diz “profundamente chateado” com as acusações que tem recebido na internet e divulgou imagens das câmeras de segurança em suas redes sociais para refutar a história, que acabou viralizando.

Nas imagens, é possível ver o garçom apontando para o cardápio e aparentemente explicando o preço para o turista Junko Shiba e seu grupo. O funcionário chega a levar o caranguejo vivo para os clientes observarem antes de ser preparado.


“A equipe do Seafood Paradise comunicou duas vezes aos clientes que o preço do caranguejo real do Alasca era o mesmo do caranguejo da neve da Escócia, enquanto apontava para o menu”, escreveu o Paradise Group em uma longa postagem no Facebook.

De acordo com a empresa, o caranguejo da neve da Escócia foi apresentado ao cliente no menu com valor de cerca de R$ 95 por 100 gramas. A equipe também teria avisado aos clientes que o peso total do caranguejo real do Alasca era de 3,5 kg.


Fonte: Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios




2 visualizações

Comments


bottom of page